Teoria da Coquetelaria

23:12 / Preparado por: Arthur Tinelli /

Olá povo.

Vamos a mais um post sobre a parte "teorica" da coquetelaria. Hoje vou falar sobre diferentes tipos de drinks e modos de preparo para que vocês possam elaborar melhor suas próprias receitas.

Apesar de parecer um certo exagero categorizar tanto uma coisa que para muitos é apenas uma diversão nas festas, quando se elabora um cocktail do zero é preciso ter conhecimento de como prepara-lo da melhor maneira. Se você tentar misturar bebidas densas no mixing glass, por exemplo, vai acabar com um drink com aparencia de decantado.

Vamos lá. Primeiro, falarei sobre a Categoria do drink:

Long Drinks: São bebidas refrescantes servidas em copos altos, tendo geralmente em sua composição uma dose de aguardente misturada com sucos de frutas ou refrigerantes e bastante gelo. Um exemplo é o Blue Moon.

Short Drinks: São considerados o verdadeiros cocktails, servidos em copos pequenos como a taça martíni ou o copo old fashioned e que levam em sua composição apenas bebidas alcoolicas. Tenho certeza que vocês já ouviram falar no Dry Martini. (se não ouviram, logo postaremos)

Hot Drinks: Drinks quentes indicados para climas frios. (acredite: nesse nosso país tropical faz um frio absurdo em certas regiões). Volte alguns posts e veja o Brazillian Coffe.

Agora vocês já sabem a categoria do drink que desejam fazer. Mas como eu já disse, se misturar errado, vai dar m*rda. É sério, já vi uma mulher bater um drink com refrigerante na coqueteleira. E ela foi a única no recinto que não achou a menor graça. =]
O modo de mistura é chamado Modalidade:

Batidos/Shaken: Use a coqueteleira quando a receita pedir bebidas densas de difícil mistura, como licores, leite condensado, etc. (relembrando: NÃO BATA REFRIGERANTE NA COQUETELEIRA!)

Mexidos: Bebida pouco densas e de facil mistura são preparadas no mixing glass. Acrescente gelo e mexa com a bailarina, depois coe o composto para outro copo sem deixar o gelo ir junto.

Montados: São os drinks que dispensam a utilização do mixing glass ou da coqueteleira e são montados diretamente no copo a ser servido.


Agora só falta o mais importante ao elaborar um drink: a Finalidade. Não se deve fazer uma receita só por fazer. Se você tiver em mente a finalidade correta, não só seu drink será mais gostoso como será apreciado no momento certo. Para isso entenda:

Estimulantes de apetite: São os famosos aperitivos. Possuem sabores secos, semi-seco, amargo, ácido ou até mesmo salgado. Para servir antes das refeições.

Digestivos: Apropriados para servir após as refeições. São cocktails doces e/ou cremosos.

Refrescantes: Bebidas destiladas misturadas a sucos de frutas ou refrigerantes servidas com muito gelo. É aquele drink que todo mundo gosta de tomar na praia ou na beira da piscina. (se você estiver lendo isso no laptop à beira da piscina eu recomendo um Piña Colada) =]

Nutritivos: Bebidas com ingredientes ricos em calorias como ovos, vinhos, cremes, mel, chocolate, leite etc.

Estimulantes físicos: Cocktaisl quentes, compostos de bebidas destiladas, condimentos especiais e café.

E para os entortadores de caneco de plantão:

Corta ressaca: Drinks com propriedades hidratantes recomendados para aliviar os estragos de uma ingestão descontrolada. (Se você está lendo isso com aquele gosto de cabo de guarda-chuva na boca, beba um Bloody Mary e seja feliz)

Por hoje é isso aí. Quem quiser se aventurar no mundo da elaboração de cocktails e tiver alguma dúvida mande-me um e-mail. (o endereço está no meu profile. É só clicar no meu nome ali à esquerda.)

No próximo post vou falar sobre as técnicas de mistura. Se possível até com fotos. Até lá.

Marcadores: , , , , , , , , , , ,

0 Quem tentou o drink::

Postar um comentário